segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A nova rotina, pós acidente de patins!

Atualizando a conversa.

Durante as férias da recuperação do pé, o maior desafio que vivi foi ficar de cama, de pé pro alto, sem poder preparar a minha comida viva! Mas antes de entrar nessa história queria contar como ia minha rotina antes do acidente de patins chegar e como esse evento se mostrou libertador.

Fato é que nos últimos dois anos minha vida mudou muito, uma nova estrutura de vida pessoal, profissional e familiar me exigiram mais energia pra fazer toda a engrenagem girar. Com isso, para tornar a rotina mais “prática”, experimentei por uns meses trazer para o dia a dia da família a culinária vegetariana light, bem viva até. Confesso que até certo ponto eu me diverti brincado de “ser normal”, mas o preço da normalidade pra mim foi alto...

Viver a experiência do Alimento Vivo 100% por anos a fio me trouxe uma qualidade de saúde, num nível altíssimo, com muita vitalidade e disposição, esse é o meu referencial, perder essa força é um preço alto demais pra se pagar... A magia do bem estar, da mente mais aberta e do humor vivo, no meu corpo, se esvai junto com a vitalidade que se perde no cozimento dos alimentos...

A saúde deu lugar a dores nas articulações, senti cair a vitalidade pras práticas de atividade física e menor criatividade com a Culinária Viva. Enfim, a coisa foi ladeira abaixo. Quando não via muita solução, veio a acidente de patins e diante da condição de me submeter a uma cirurgia com exigência de repouso total de 45 dias, me vi na condição de passar o maior período dos últimos 8 anos comendo alimentos cozidos. De fato talvez 20% de cru e vivo, na forma de saladinhas, frutas e sucos de frutas e vivos.

Eu não consigo viver só com esses alimentos, então entraram na minha rotina legumes no vapor, tapioca com recheios vivos e crus e sopas de legumes no vapor, alguns integrais sem gluten, outros não,... Assim foi o cardápio preparado pela cuidadora do meu tio, com quem fiquei hospedada pelos primeiros 30 dias da minha recuperação pós cirurgia, recebendo todo carinho e amor da minha família e do meu companheiro, que literalmente me carregaram nos braços.

Passados 45 dias eu adoeci fortemente, além das dores nas articulações, dores de cabeça, humor difícil e a angustia do sentimento de que o pé estava “inflamado demais”, mais do que estaria se estivesse 100% viva, entrei em melancolia que gerou um principio de pneumonia, sentindo cada vez menos força pra voltar pra prática da minha salvadora dieta viva 100%.

Lembro como foi triste a primeira vez que fui cortar uma abóbora moranga e não tinha força no corpo... Como parecia dura. Não fui capaz...  Pra mim, nada nessa vida é mais precioso do que a saúde física, a força de fazer o que precisa ser feito e usar o corpo livremente, associada ao humor mais brando e leve, sempre foram minha grande motivação.  

Foi do fundo do posso, rabugenta, adoecida e tristonha, sem poder voltar ao trabalho, que trocando e-mails com Maria Luiza Branco, minha orientadora no Estilo de Vida do Alimento Vivo, que ela me falou da Culinária Viva de geladeira, que estava implantando na sua rotina e que estava trazendo a praticidade que sua nova rotina exigia.

Imediatamente pedi pra aprender, ela topou, fiz as malas e naquela semana fui pro Terrapia Teresópolis, casa da Maria Luiza, com o inocente propósito de ajudar na produção da comida de geladeira da semana dela e com isso assimilar a tecnologia. Sim, eu fui mesmo doente e caidinha. Tinha certeza que passar 3 dias com ela no Alimento Vivo já traria de volta ao meu corpo a memória da minha saúde residual de 8 anos de prática de Alimentação Viva e que ele responderia. E longe da rotina da minha casa, eu me fortaleceria. Então, muletas em punho, tocindo como uma cachorra velha, troncha e chorona, de mochila “nas costas” de alguém, lá  fui eu de saci rumo a Serra dos Órgãos, me busca da vida.

No tratamento: barro no pé, escalda pé, lavagem intestinal caseira, um dia de sucos para desintoxicar, muito repouso, dormindo tudo que fosse necessário, suco verde de mato fresco diariamente em jejum, leituras e conversas terapêuticas de recuperação, orações, silêncio e nada de computador e trabalho. Em 3 dias eu já sentia o gosto de sorrir com alegria, meu pulmão já parecia mais seco e a febre já tinha saído fazia tempo.

Passada a primeira semana eu já colocava o pé no chão e caminhava com apenas uma das muletas. Então água gelada do tanque da nascente e muita prática de Culinária Viva, orações e conversas eram o tratamento. A alegria do pequeno Vicente, neto da Maria Luzia de 3 anos, conquistou mais ainda meu coração e aquele pequeno mestre me enchia de alegria o despertar de cada dia com brincadeiras de pegar... Pensa, eu de moleta, como ia pegar uma criança tão viva e esperta? Kkkkkkk Mas a gente ria, e isso já era tudo!

Mas eu ainda não estava pronta pra voltar pra casa. Era preciso mais tempo pra tomar coragem para assumir uma nova postura pós retiro. Mais treinamento na cozinha, mais leituras, mais conversas terapêuticas, mais preces... Mais brincadeiras com Vicente. Mais aprendizado sobre deixar Deus agir na minha vida.  

Na segunda semana, já caminhava mancando engraçada, sem muletas dentro de casa,... Era divertido perder as muletas e só me dar conta na hora de descer a pequena escada da cozinha! Kkkkk Tipo: “Iiiiiih! Cadê as muletas?”... Volta pra buscar.

Então entramos na parte da revitalização do trabalho, revendo essa identidade, numa grande reciclagem sobre a metodologia. Descobri o que queria, o que não queria mais fazer, o que estava fazendo só para os outros e o que era pra mim de verdade, encontrei a nova identidade do CulináriaViva.com, na linhagem Terrapiana.

Dessa forma identifiquei que não somos uma escola de Detox, nem de outra terapia parecida. Descobri que a linguagem do Amor é a marca desse trabalho e que dentro dela o que me encanta é orientar as pessoas para que se tornem praticantes, vê-las se transformando semana a semana, mês a mês, e muitos dos que se dedicam mesmo, me dão a alegria de vê-los crescer, melhorar a sua vida e saúde ano a ano. Sempre voltando para se renovar nas atividades que oriento.

Agora tem um mês que voltei pra casa. Eu, casa, família, trabalho, gatos, ... todos passamos por profundas mudanças necessárias. Desde então, retomei minha rotina viva 100%, já consigo fazer atividades leves na praia, como caminhadinhas de “senhorinha” bem lentinha,...rsrs e  mergulhos na prainha com uma leve nadada, que me ajudam a manter a alegria e a força no corpo e na alma. Não deixei as leituras, as músicas que elevam os pensamentos a Deus e que cultivam a confiança de que ele está no comando...rs  

Quando se fica em pé depois de dois meses, que pareceram 2 anos, o olhar sobre a vida é outro. A casa e tudo mais precisa ser renovado desesperadamente. É quase como morrer e voltar. Nada parece no lugar. A noção de posse é outra. Nada é de fato nosso, a não ser pela vontade de Deus.

A alegria do primeiro mergulho na prainha, a primeira ida ao Pampo, canto de praia que eu amo, depois de 3 meses sem pisar por lá, a alegria de estar viva, de poder caminhar, foram algumas das coisas que senti que me fazeram pensar que ganhei a minha vida de volta, como uma nova chance. Isso é algo que não se explica, só quem passou e olhou assim sabe do que estou dizendo.

Entre as mudanças, a casa que antes se destinava apenas a servir como casa de morar e aos cursos 
online, foi transformada num Ateliê de aulas para grupos e particulares. Fato é que não pude voltar a rotina do esforço de sair com mil caixas e comidas para grandes atividades externas. O presente por essa escolha tem sido lindo, descobri que gosto de trabalhar recebendo pessoas, com pequenos grupos, aqui, no meio da natureza, junto da praia, no meu lugar, serenamente. 

As primeiras turmas já aconteceram e em novembro teremos o primeiro curso de maior duração que já ministrei, serão 4 meses de aulas quinzenais de Alimentação Viva, voltado para a prática cotidiana e organização de cardápio para o dia a dia com uso de geladeira.

Finalmente a revisão do método de aula também aconteceu, não me atende mais só ensinar a Culinária Viva por si, com dicas de como colocar na rotina, meus cursos agora serão voltados para organização do dia a dia, tornando a vida mais prática e facilitada para todos. A exemplo do que tenho feito para mim.

Claro que o susto também me ensinou sobre a importância de ter alguém bem treinado por perto para o caso do meu corpo vir a falhar. Então, calcei as sandálias da humildade estou me organizando para trazer essa pessoa pra perto de mim, me ajudando a produzir comida para ter pronta na geladeira, facilitando a rotina de praticante.

É fato que tem hora que abrir a geladeira e só encontrar os legumes e as frutas é muito mais poético do que funcional, então descobri o que quero encontrar lá pronto me esperando: Leites, ricotinhas vivas, queijinhos, salgadinhos, legumes semi desidratados, bolos, patês, pastinhas, molhos, pães, crackers, granola, barra de cereais viva, mouses, pudins,... rsrsrs Enfim acho que vou precisar de uma geladeira maior, do tipo bem normal!  kkkkkkk

Em troca desse esforço terei o prazer de acordar, beber um leite com canela, comer um pedaço de bolo de chocolate e sentar pra trabalhar e oferecer essa rotina com quem eu desejar compartilhar. É essa a tecnologia que quero oferecer nos cursos para todos vocês.

Finalmente compreendi que a Alma tem um Traçado Divino, aquilo que de fato devemos fazer pra crescer, ela nos guia e orienta, de forma que quando deixamos o Traçado coisas precisam acontecer para que retomemos a nossa Ação Divina na Terra. De forma que hoje posso agradecer a Deus pelo acidente com os patins, pelo meu pé quebrado, a placa e aos parafusos, pela força da sustentação, a tudo que estou passando no esforço de reaprender a caminhar, a viver, e que está me ajudando aprender a andar no Traçado da Vida.

Saude, paz e alegria para todos nós, todo dia! 

Obs.: Nem o Terrapia Teresópolis e nem a Maria Luiza oferecem o tratamento para o público, esse foi um cuidado particular, de amiga e professora, dela por mim. Por favor não façam contato e nem sugiram isso como serviço, pois ela não tem disponibilidade para atender, ok? 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Sobre o Curso de Alimentação Viva com inicio em 08/11.

Queridos amigos interessados no Curso de Alimentação Viva, que terá inicio no dia 08 de novembro, por amor, concluam suas inscrições o mais brevemente possível, pois outras lindas flores estão chegando e realizando suas inscrições e não teremos reserva de vagas, senão através do depósito, conforme nosso combinado de sempre. Aguardo o seu retorno, com gratidão e alegria! 
Um vivo abraço de luz e amor,
Juliana

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Oficina Prática


Queridos, 
no próximo teremos uma oficina de Culinária bem diversa e prática! 
Vamos fazer farinha desidratada e farofa viva com várias sugestões de variações!
Vamos preparar fermentados em conservas e quem trouxer vidrinho pequeno com tampa vai levar o seu pra casa pra acompanhar o resultado em casa! 
E ainda aquele bolinho de chocolate recheado que todo mundo sonhou!
Além de um suco novo que descobri esses dias e que preciso compartilhar com muito mantra hummnnnn... 
Inscrições com desconto até quarta! 
Aguardo por vocês!


Nossa Oficina de Alimentos Desidratados

Na Oficina de Snacks e Crackers desidratados do ultimo sábado, foram apresentadas 11 diferentes preparações com degustações, aqui no Ateliê da Culinária Viva, em Itacoatiara, nossa casa de aulas práticas.

Valorizamos a praticidade da rotina com os crackers, farinhas e farofinhas vivas, mas sempre gosto de lembrar que essa rotina deve ser cultivada dentro da visão do “cuidado delicado” com seu corpo. 

Muitos de nós podem achar que o fato de comer crackers e snacks desidratados a baixa temperatura, livres de cozimento, preparados artesanalmente, sem farinha, sem glúten, leite, derivados de animais e afins, já seria o céu da saúde. Se por um lado esse é um pensamento correto, naturalmente, tudo tem dois lados... E tudo na vida é questão de dose!

Nos seus trabalhos a Dra. Ann Wigmore destaca a importância do uso moderado dos desidratados. Então ela já nos dizia que não é pra abusar!

A experiência nos ensina que não devemos substituir refeições por snacks, ainda sejam vivos, muito menos passar um dia a base de crackers, pelo simples fato de serem vivos e saudáveis. É hora de crescer, não temos pra onde correr!

Sugiro que os desidratados sejam agentes capazes de alegrar a rotina alimentar como um complemento que irá temperar as refeições com novos sabores, requinte e afetos.

Gostaria de um exemplo?  Usá-los como crutons em saladas cruas e folhosas, preparar farofinhas recheadas de brotos e legumes frescos, compor pratos amornados com sementes germinadas e legumes frescos... Tá bom?

É importante valorizar acompanhamentos à base de vegetais crus e frescos para que nossa digestão seja facilitada. Ok?

É fato que os desidratados são maravilhosos, especialmente sob o aspecto saboroso, através deles trazemos o salgadinho sequinho, crocante e até quentinho para nossa rotina saudável.

Sabemos que a comida convencional (cozida) que traz essas características, tão sedutoras, normalmente é carregada de aspectos nocivos à saúde, à estética e ao humor – eu sei que descriminar nesse caso é uma redundância, pois todos são aspectos relacionados a saúde, mas vamos seguir no nosso tema sem polêmicas...rs

Seja qual for a sua motivação, gosto de lembrar a historinha da uva passa, um alimento desidratado que quando colocado imerso em um copo com água leva dias para ficar cheinha, voltando a ser uva novamente! Sugiro que faça essa simples experiência na sua casa como uma prática de conscientização de “auto-cuidado delicado”, como gosto de chamar esse nível de cuidado que está acima da média.

Tenha em mente que a água necessária para digestão dos desidratados é a água da vida do corpo. De forma que sugiro que hidrate sempre muito bem o seu corpo, prepare refeições compostas com vegetais crus in natura, consuma bastante líquido sadio, água boa e néctares de frutas com sementes germinadas, por exemplo.

Com esses cuidados vamos cultivar saúde com bem estar, sem privações do prazer e da alegria de comer bem! 

Na Oficina foram apresentadas não apenas técnicas de desidratação 100% de alimentos, como forma de estimulo ao consumo de alternativas, mais rápidas e sadias dos alimentos desidratados.

Na textura intermediária, como chamo, resta alguma umidade no alimento, tipo semi-desidratado, que lhe confere um aspecto de cozido ou levemente assado. Dando ainda um sabor mais concentrado, bastante interessante, em todas as fases da nossa transição alimentar, eu creio...

Esse aspecto que nos remete ao alimento preparado com cozimento, oferece formas que irão atender com alegria aos nossos afetos alimentares, a memória afetiva, tão importante no caminho de uma transição alimentar prazerosa e serena.

Essas e outras dicas você encontra em nosso Curso de Alimentação Viva, com inicio em 08/11, aqui no Ateliê da Culinária Viva.

Nesse curso, assim como nas oficinas pretendo reunir um pequeno grupo, sempre acolhedor, de pessoas interessadas no Estilo de Vida da Alimentação Viva, de forma prática e facilitada.

A novidade que estamos experimentando é uma nova Culinária Viva, que aceita o uso de geladeira para conservar os alimentos! Uma técnica que os participantes mais antigos sabem que será inovadora em nossa prática.

Com gratidão e alegria,
Juliana Malhardes
















Entardecer no nosso Ateliê da Culinária Viva

Entardecer na janela da nossa "Cru"-zinha Viva de aulas! 

Assim somos...


Palavras vivas

"Eu descobri que quando você ama a vida, 
ela te ama de volta!" 

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Reflexões para praticantes da Alimentação Viva

Procurar um curso de Alimentação Viva com pensamento de não querer passar mais tempo na cozinha, é o mesmo que entrar numa escolinha de surf pensando em não querer passar muito tempo na praia. Mudança de hábitos de vida, especialmente os alimentares (para melhor) exige dedicação e prática. Com o tempo, naturalmente, iremos nos tornar mais ágeis, espertos e criativos. A saúde regenerada associada ao aprendizado culinário nos trarão maior agilidade e nos sentiremos mais facilmente saciados. A rotina entra no automático e tudo parece mais simples. Nessa fase o tempo na prática de preparo será reduzido e a qualidade da comida será melhor. É nesse estágio que perceberemos o ótimo investimento que fizemos trocando atividades por tempo Culinário Vivo! Nos sentindo mais generosos e amorosos conosco e com a vida. A cada dia mais nos sentimos mais conscientes de que o bem estar que a Vida traz pro corpo não tem limite, então descobrimos a real motivação! Vivas beijocas no coração! Juliana Malhardes

Curso de Alimentação Viva

I CURSO DE ALIMENTAÇÃO VIVA  
com Juliana Malhardes 
4 meses de duração

Apresentação:
Acreditamos que comer é um ato afetivo, social e amoroso. Para tanto o convívio e o apoio de um grupo que comunga interesses comuns é fonte de força, coragem, alegria e inspiração. De mãos dadas, irmanados, na troca de experiência vividas com a Culinária Viva no dia a dia, compartilhada em alegria e com humildade, encontramos recursos materiais, emocionais e espirituais para seguir cada vez melhor no caminho das escolhas alimentares com vitalidade.

Justificativa:
Para tanto decidimos co-criar um curso de maior duração, nde vamos apresentar ferramentas práticas para organização do dia a dia, respeitando a realidade e o momento de mudança de cada um.

Orientação:
Juliana Malhardes, apaixonada pela vida saudável, entusiasta da serenidade, praticante do Estilo de Vida da Alimentação Viva, Chef especialista na Culinária Viva, Educadora em Alimentação Viva formada pelo Terrapia. Advogada Ambientalista por formação, recuperada, hoje em dia só processa sementes e com muita alegria! 

Metodologia
Baseado na metodologia Terrapia, o curso será 20% teórico e 80% prático. Será participativo, com atividades para o lar, busca de ingredientes, prática de germinação de sementes e cultivo caseiro de brotos, provas saborosas e partilhas em grupo a cerca das experiências com a prática cotidiana, sua organização e reflexões a cerca das relações afetivas que envolver nossas mudanças de hábitos alimentares. Valorizaremos a prática meditativa do alimento e cultivaremos a prática silenciosa sempre que desejarmos.

Conteúdo
Em todos os encontros teremos: 
1) Preparo de Sucos Vivos variados; 
2) Aula de Germinação de Sementes e de Cultivo caseiro de brotos; 
3)Tarefa prática de germinação e cultivo de brotos para casa;
4) Prática de preparo de refeição em grupo; 
5) Almoço coletivo com temas culinários variados; 
6) Trocas de experiência buscando sempre o apoio mutuo. 
7) Em encontros alternados teremos o momento “mão na terra”, com vivência de horta caseira e de cuidado de brotário;
8) No primeiro dia de curso vamos inaugurar a composteira da turma, iremos observá-la e cuida-la durante todo o curso; 
9) Sempre que possível traremos convidados para transmitir experiências relacionadas aos nossos interesses; 
10) Teremos uma bibliografia de artigos e vídeos sugeridos como fonte de ideias vivas para fomentar conversas vitalizantes em nossas atividades!
11) Possibilidade de realizarmos trilhas e picnics no entorno do Ateliê

Conteúdo da Culinária Viva:
1. Suco Vivos, leites vegetais, vitaminas, shakes e smothies.
2. Pratos salgados amornados variados
3. Sobremesas variadas para o dia a dia 
4. Fermentados: iogurtes, queijinhos e molhos de iogurtes salgados
5. Salgadinhos, quibinhos, croquetes e bolinho de lentilhao desidratados 
6. Pão essênio e seu melhor amigo sem gluten
7. Chocolate Gourmet de Cacau 100%
8. Molhos e saladas de brotos e germinados
9. Desidratados variados com Crackers, petiscos, queijinhos,...
10. O que mais desejarmos co-criar! Sempre mesclando e variando os temas entre o lanchinho na chegada e o almoço, ou suquinho na chegada, almoço e sobremesa. Com cardápios a combinar conforme a realidade do grupo.


Local: 
O nosso Ateliê de Culinária Viva traduz a frequência e organização dos espaços da rotina de um praticante da Alimentação Viva, de forma que inspira a organização do ambiente do participante, conforme a sua realidade. Através de soluções baseadas no simples, de baixo custo, ecológicas e criativas, especialmente para quem possui pequenos espaços.

É ambientado na atmosfera viva de Itacoatiara, num recanto de floresta praiana, com som e cheiro de mar, que pode ser visitado pelos participantes e até pelo grupo eventualmente, como fonte de inspiração antes ou depois de cada atividade, pois estamos a 100 metros dessa maravilhosa praia.

O endereço será enviado no momento da matricula.

Material didático:
Os participantes receberão uma pastinha com receitas, na qual irão arquivar suas apostilas de receitas e dicas de cada aula. Ao longo do curso esse material se tornará seu caderno de receitas da Culinária Viva.

Suporte
Os participantes contarão com suporte via e-mail, whatsapp, facebook e blog. E ainda um grupo de suporte virtual de ajuda mutua para o apoio necessário possível para estimular a prática da Culinária Viva cotidiana. 

Duração: 
Curso de 4 meses de duração  
De 8 de novembro a 21 de fevereiro 
Aulas quinzenais aos sábados 

Horário: 10 às 15:00 hs. 


Forma de pagamento:
Cheques pré-datados: 4 x R$350,00
A vista: R$1.260,00

Matricula: 
R$80,00. 

Número de vagas: 
Até 10 participantes

Inscrições: 
Confirmadas apenas com depósito bancário da matricula.

Requisitos para participação: 
Amar a vida, desejar o Alimento Vivo com alegria, gostar a ideia de germinar, desejo de viver cada vez melhor! Não há necessidade de conhecimento anterior ou prática relacionada a culinária ou afins. Só é desejado o desejo de estar aqui por todo o curso! 

Inscrições e mais informações:
culinariaviva@gmail.com
facebook.com/culinariaviva
www.culinariaviva.com
21. 98349.6244 e 3701.5705


sábado, 6 de setembro de 2014

Flores comestíveis!

Busque a lista de flores comestíveis aqui no nosso blog e surpreenda-se com as cores, saberes e sabores da horta florida!
As abelhas e pequenos polinizadores também agradecem! 

Trabalhar com Culinária Viva é assim!


Doces na Culinária Viva!

Panqueca de coco recheada com manga e tâmara seca! Ajoelha e reza! Só alegria e gratidão! Muito amor no coração!!! 

Culinária Viva Arte


Torta Viva Salgada Amornadinha!

Jantar Vivo quentinho numa noite fria na Serra! Tortinha de berinjela com tomate seco e massa de peçan e girassol descascado germinado! Muito amor e sabor nessa vidaaaaa linda! 

Jantar Vivo quentinho no inverno!

Sopinha viva amornadinha, pão Essênio temperado e queijinho de alho! É tudo de bom!  Aguijeveté!

Culinária Viva, simples e bela!


Filosofando!


Minhocário!

Adoraria ter um desses!
Minhoca é um pet super funcional, trabalha no composto, faz húmus, q ajuda no adubo da terra, cresce e se multiplica sozinha! Basta um cuidadinho com as caixas! Viva as minhocas!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O que são Alimentos Fermentados?

Alimentos Fermentados estão classificados na categoria dos alimentos vivos, ou seja, alimentos ricos em vitalidade e enzimas digestivas. Cuja importância consiste em facilitar a digestão e assimilação dos nutrientes pelo corpo.  São “pré-digeridos”, o que significa que sofrem uma alteração que potencializa a qualidade de enzimas digestivas e bactérias pró bióticas na sua estrutura e que irá facilitar a digestão e assimilação dos nutrientes pelo corpo.

Na natureza os seres só acontecem e crescem em ambientes favoráveis, especialmente onde encontram alimentos interessantes.  Em ambientes mais ácidos, ou seja, as bactérias nocivas encontram ambiente favorável para seu desenvolvimento. Enfraquecendo as defesas do corpo, elas comprometem imunidade, alteram a capacidade cognitiva e criam um ambiente favorável para a ocasião de doenças diversas.

Para alterar positivamente a qualidade do PH no ambiente interno, no corpo como um todo, é recomendado o consumo de alimentos “alcalinizantes”. Aqueles promotores de ambientes favoráveis às bactérias que irão promover uma melhor qualidade na saúde do intestino e, por consequência, do corpo como um todo. Os chamados alimentos biogênicos e bioativos, ou seja, alimentos que geram vitalidade e que ativam a vida no corpo. Tendo potencializada sua carga de vitalidade o corpo terá maior facilidade em gerenciar suas funções naturais, especialmente a da desintoxicação. A desintoxicação é um processo natural onde o corpo diariamente elimina o excesso de toxinas produzido.

Observa-se que a medicina nutricional tem divulgado cada vez mais amplamente a prática conhecida por DETOX. Guardando o entendimento de que quanto mais facilitada a digestão e assimilação dos nutrientes pelo corpo, melhor será a qualidade da saúde, que se manifesta em forma de bem estar e saúde.

No DETOX o consumo de alimentos desintoxicantes (fora da Culinária Viva os Detox são baseados em alimentos não necessariamente vivos, mas que aliviam o esforço digestivo pelo corpo oferecendo condições favoráveis a desintoxicação) oferecem um  descanso da sobrecarga habitual que resulta em economia de energia que a inteligência do corpo irá aplicar na REGENERAÇÃO  da VIDA!

Muitos são os benefícios que decorrem desse processo. Destaco a melhora na inteligência emocional, nas funções cognitivas e uma maior capacidade de concentração e aprendizado.  Além de um sem fim de curas de doenças respiratórias, de articulações e outras consideradas crônicas e incuráveis. Na perspectiva da Promoção da Saúde, essa prática irá gerar uma agradável sensação de bem estar, acompanhada de uma visão de maior otimismo e entusiasmo para lidar com as questões cotidianas. Redução de conflitos nas relações e maior equilíbrio de humor são aspectos observados.

Os Alimentos Fermentados são ricos em bactérias pro bióticas e já fazem parte da cultura no mundo, são encontrados na forma de yogurtes, chucrutes e bebidas lácteas industrializadas ricas em lactobacilos vivos.  A Culinária Viva apresenta as versões vegetais desses “tipos culinários” em preparações livres de lactose, derivados de animais e açúcar, além de não conterem conservantes, aromatizantes e demais elementos próprios da indústria de alimentos. Totalmente livre de cozimento, os alimentos tem sua fermentação privilegiada.

O principal pro biótico utilizado na Culinária Viva chama-se Rejuvelac. Resultado das pesquisas realizadas pela Dr. Ann Wigmore, principal autora moderna sobre o tema “Alimentação Viva”, o Rejuvelac foi assim batizado por sua capacidade de regeneração da vida, que reflete na estética saudável, maior viso da pele, do cabelo e do corpo como um todo.

Rejuvelac:

Bebida fermentada a base de sementes germinadas ou vegetais. Possui um rica variedade de bactérias pro bióticas, que lhe confere um alto potencial de fermentação. Pode ser consumida pura ou utilizada como base para fermentação de sementes germinadas, legumes e verduras.  Utilizada nas preparações de yogurtes vegetais, pastinhas, queijinhos, chucrutes e outras, que não só promovem a saúde, mas enriquecem a Culinária Viva, tornando a rotina mais prática, interessante, criativa e saborosa.

No dia 20 de Setembro irei orientar um Curso de Culinária Viva Prático sobre o tema e espero contar com a sua presença. A atividade será realizada na Clínica Aghaton, no Bairro de São Francisco, Niterói/RJ. Para mais informações ou inscrições, por gentileza escreva para: culinariaviva@gmail.com ou envie sua mensagem via facebook.com/culinariaviva.
Att.,

Juliana Malhardes

Leite, Yogurte e Queijos Vegetais Fermentados


Próximo Curso Prático!


Curso Prático de Culinária Viva!















quinta-feira, 14 de agosto de 2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Estou voltando!


Queridos amigos, estou voltando!

O sentimento de ganhar a própria vida de volta tempera as mínimas coisas que antes silenciosas jaziam sob a poeira da rotina, mas que agora ganharam uma áurea de encantamento e presente, de maravilhoso viver!

De fato no tombo de patins, há 30 dias, eu quebrei um osso importante de sustentação, mas perfeitamente consertável, através de uma cirurgia e colocação de uma pequena placa no tornozelo.

Graças a Deus, e a uma luminosa equipe de bons profissionais, a cirurgia foi um sucesso e a recuperação corre bem. Já tirei os pontos. Ainda caminho de muletas, mas já estou super feliz por caminhar com elas e poder ficar de pé na minha viva cozinha! Rsrsrs...

Antes que vocês imaginam eu voltarei a dar as aulas online! Pense seu ia demorar...rs! Rsrsrs...

Depois, em algumas semanas, volto a pisar. Já já vocês vão me ver correndo por aí novamente! kkkk Bem.. nem tão “já já” assim, né?...rs Caminhando sim, isso será mais breve! rs...

As férias forçadas foram temperadas de muitas emoções difíceis, adaptações complicadas, esforços grandiosos e superações profundas, mas sobremaneira foi riquíssima em amor e carinho da minha família querida e dos amigos, antigos e novos, pessoas infinitamente maravilhosas, a quem agradeço sem fim por todo o cuidado que recebi!

Agradeço também a vocês, queridos amigos e faceamigos, por suas orações e energias amorosas, curativas e preciosas, que continuam chegando e abençoando essa experiência luminosa que estou vivendo.

Quero dizer que apesar de pedregoso, o caminho tem sido rico em MILAGRES e que creio que a boa energia de vocês também contribuiu pra formação dessa egrégora curativa.

Finalmente quero dizer que creio nesse precioso conjunto de experiências como um daqueles presentes estranhos da vida, que por alguns momentos pode nos levar a beira do desespero, mas que sob as lentes da Fé, ao seu tempo, vão mostrando a sua Verdade, entre as Graças cotidianas, cuja a mais grandiosa é a sensação de renascer com força e vida!

Sobremaneira a saudade enoooorme e a vontade de voltar a vibrar na Culinária Viva, de sentir sua força viva no meu corpo pulsando e compartilhar com vocês com amor e arte, é o melhor estimulo para ficar de pé novamente!

Que Deus continue abençoando cada um de vocês e a todos nós, hoje e sempre! Para que tenhamos olhos de ver e ouvidos de ouvir, o Seu amor criando em nós!

Beijinhos e gratidão enorme por todo carinho!

Juliana Malhardes.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Conversando sobre Amêndoas Germinadas

Conversando sobre Amêndoas Germinadas - por Juliana Malhardes
Amêndoa é uma semente muito especial. Você já percebeu que algumas sementes precisam de muito carinho e temperinhos para o sabor ficar mais interessante para o nosso paladar? Decididamente esse não é o caso da Amêndoa. Ela é uma semente de sabor suave, leve e agradável. Mesmo pura é saborosa e combina simplesmente com tudo. Quem aprecia a Amêndoa crua, vai se surpreender com o sabor da versão germinada.

COMPRANDO AMÊNDOA 
Na hora de comprar a sementes de amêndoas, informe na loja que você deseja amêndoa crua. Dispense a salgada, ela não germina porque é tostada.

GERMINAÇÃO da AMÊNDOA 
Algumas sementes germinam apenas dentro d'água e a Amêndoa é uma delas. O seu processo de germinação é bem simples:

1.Lave bem com água limpa.
2.Deixe de molho por 24hs à 48hs.
3.Troque a água uma vez por dia.

Nos dias frios as sementes levam mais tempo para germinar, nos dias quentes germina com menos tempo. Observe a pontinha branca que chamamos "narizinho" da semente, que é o sinal de que ela germinou.

TIRAR OU NÃO TIRAR A PELE, EIS A QUESTÃO 
Tirar ou tirar a pele, eis a questão. Comer as sementes com pele não faz mal, mas o nosso objetivo é economizar energia do ecossistema corporal na digestão. As cascas são celulose que o corpo não aproveita. Nos praticantes do Crudivorismo e da Alimentação Viva, elas podem gerar fermentação e gases intestinais. Pelo sim pelo não, para comer na forma sólida recomendável que retire a pele dessas sementes. O sabor também é muito melhor. Experimente com e sem pele e faça a sua escolha. Nas receitas líquidas coadas podemos manter a pele pois ela fica retida no coador.

DICAS CULINÁRIAS
A Amêndoa é uma semente grande. Depois de germinada a pele solta com facilidade. Por isso é fácil descascar uma a uma.

1. Belisco: Simples e pura, salgadinha, é uma ótimo belisco.
2. Na Salada Verde: Vale só jogar na salada verde ou salada de frutas.
3. Misturadinha com a comidinha: do seu dia a dia também é muito bom, no meio do arroz e das frutas.
4. Temperada com ervas frescas e um pouquinho de azeite é tudo de bom.
5. Cremes de Frutas Liquidificada com frutas, faz cremes divinos, sugiro que comece pela manga, se possível dê preferencia a manga palmer. Nesse caso, sugiro que retire a pele.
6. O Leite Vivo de Amêndoas germinadas é o the best. Nesse caso não precisa descascar a sementes porque o leite é coado no voal. Liquidifique uma parte de sementes para 4 partes de água e coe no coador de voal. Puro é gostoso, mas pode ser ainda melhor se for adoçado com mel ou frutas secas, que podem ser liquidificadas junto com as sementes.
7. Café com Leite Vivo é uma forma saborosa de substituir os leites animais.
8. Cacau com Leite de Vivo de Amêndoas Germinadas, adoçaria com mel. Onde comprar Cacau Cru:www.planetacacau.com.br - já compramos aqui em casa, achei de boa qualidade, com preço justo e entrega rápida).
9. Vitamina Viva de Leite de Amêndoas Germinadas combinadas com frutas frescas como Abacate, Manga Palmer ou Banana é de beber ajoelhado, rezando. rsrs...
10. Iogurtes Vivos, Queijinhos Vivos e Massas de Torta Doce, são algumas da possibilidades saborosas possíveis de serem feitas com essa sementes tão especial.

Espero ter inspirado uma semana germinada para você e sua família!
Com carinho,
Ju
Foto: Caio Rodrigues. Fonte: Site do Terrapia

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Nova turma Curso `Prático de Culinária Viva em Niterói

Queridos amigos, 

recebi a informação hoje de que podemos realizar o curso numa área maior, aqui no mesmo local, de forma que vamos concentrar as inscrições no dia 16 de agosto, abrindo novas vagas, de forma que estamos suspendendo a atividade do dia 30. Segue a programação: 

CULINÁRIA VIVA PRÁTICA 
Um dia com a Culinária Viva - A proposta desse curso é oferecer um ambiente saudável de convívio e aprendizado, através da prática em grupo da Culinária Viva. Imersos na atmosfera de beleza natural da Praia de Itacoatiara, em Niterói/RJ, numa cozinha viva vegetariana, estruturada para o preparo cotidiano desses alimentos, teremos o aprendizado otimizado e facilitado pelo ambiente didaticamente estruturado.

Em pequenos grupos, de 6 participantes por encontro, em módulos independentes, porém contínuos, com aulas mensais, iremos gradativamente aumentar a complexidade das técnicas culinárias e de germinação de sementes utilizadas nas receitas apresentadas em formato de refeições. Começando com suco na chegada, depois almoço com refeição completa, seguida de sobremesa.

SUCO – SALADA – MOLHO – PRATO AMORNADO – ACOMPANHAMENTO – SOBREMESA

Em todos os encontros vou orientar técnicas de Germinação de Sementes e Cultivo Caseiro de Brotos, assim como escolha de utensílios, organização da cozinha viva e praticidades para o dia a dia com a Culinária Viva.

Data: 16

de agosto, sábado – das 10:00 às 15:00.

Preparações:
• Suco Vivo Detox
• Salada com brotos de cultivo caseiro
• Molho de sementes germinadas
• Patê de sementes germinadas e variações de uso
• Prato amornado - Vivo e Quentinho.
• Tortinha Viva - sem açúcar, sem glúten, sem lactose, sem leite e derivados.

Todas as receitas são livres de cozimento.
Receitas práticas e com diversa possibilidade de variação.
Apostila de receitas impressas.
Degustação em forma de refeição incluída.

Investimento: R$200,00 por módulo.

Dados para depósito:
Juliana Malhardes
Banco Itau - ag: 8506 a cc.: 07889-1.
Banco do Brasil - ag.: 2907-6 cc.: 49.950-1.

Inscrições antecipadas, confirmadas através de depósito bancário. Apenas 6 vagas.

Próximos módulos: setembro, outubro, novembro e dezembro. Com datas a confirmar.

Com carinho e gratidão,

Juliana Malhardes

Torta Shunya

Torta Shunya
Ingredientes:
2 xícaras de girassol descascado germinado
1 xícara de tâmaras
6 bananas
1 mamão pequeno
4 morangos
Raspinhas de limão
Canela em pó sem açúcar

Preparo:
Germine: deixe o girassol descascado de molho por 8 horas a 12 horas. Enxágüe com água pura e escorra toda a água na hora de usar.

Massa: Pique as tâmaras, leve ao liquidificamor junto com o girassol descascado germinado. Use uma cenoura como biossocador para ajudar a processar. Aperte os ingredientes contra a hélice. A cenoura não deve tocar a hélice. Com o tempo você pega o jeito! Rs... Faça isso até ganhar uma consistência homogênea. Pronto!

Base: molde a massa inspirando-se na imagem de uma torta aberta. Assim: Aglomere a massa no meio do prato e vá esticando até fazer a borda de mais ou menos 1 cm (ou menos) e uns 4 cm de altura. Vale lamber os dedinho rs... E pronto! Agora vamos para o recheio!

Recheio: Corte o mamão, sem casca, em fatias de 3 a 4 mm aproximadamente. Forre todo o fundo da torta, faça duas ou mais camada. Preencha com creme de banana. Mas só liquidifique a banana na hora de preencher o recheio, ou ela fica durinha tal qual pudim. Para o creme, liquidifique a banana com canela a gosto (sem exageros! Vá provando). Pronto! Agora despeje o creme sobre o mamão de forma homogênea! E pronto! Vamos decorar!

Decoração: corte morangos em fatias de 2 a 3 mm. Polvilhe raspinhas de limão e canela. E se desejar dar um brilho caramelado no morango, cubra com mel ou agave cru!

Dicas de beleza: Limpe as bordinha do prato com um paninho úmido, alise a massa com os dedinhos úmidos de água! Sempre que possível valorize a louça simples, branca, transparente ou lisa. A beleza da comida está nas corres e na vida dos alimentos! :O)

Valor Ecológico: O estimulo ao consumo de alimentos livres de produtos lácteos reduz a demanda da industria de animais “de leite”, fonte significativa de emissão de gases nocivos a camada de ozônio que favorecem o aquecimento global.

Visite o nosso glossário

Boa semana com sabor, saber e saúde!

Com carinho vivo da Jú